Cheia do Rio Tocantins provoca infestação de caramujo em Marabá/ PA ! ...

19-03-2011 01:31

 

 

Portal de Notícias OnLine "AmbienteBrasil"

http://www.ambientebrasil.com.br

Edição no. 3699 - Sábado 19/03/2011  

 

CHEIA DO RIO TOCANTINS PROVOCA INFESTAÇÃO DE CARAMUJO EM MARABÁ/ PA  

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2011/03/19/67703-cheia-do-rio-tocantins-provoca-infestacao-de-caramujo-em-marabapa.html  

 

Conteúdos:

 

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

 

O período de cheia dos rios Tocantins e Itacaiúnas, em Marabá (PA), está provocando uma infestação de caramujos na cidade, cuja origem e especificação ainda não foram identificadas pelas autoridades sanitárias da região. Segundo o Centro de Zoonoses municipal, amostras dos moluscos estão sendo retiradas das ruas, das margens dos rios e áreas alagadas para análise laboratorial.

De acordo com Stella Regina Barroso, médica veterinária do Centro de Zoonoses de Marabá, a aparição de caramujos na região durante o período de cheia é conhecida anualmente, mas a quantidade dos moluscos desta vez está chamando a atenção da população e das autoridades sanitárias. “Marabá é uma ilha, cercada pela água dos rios Tocantins e Itacaiúnas. Todo ano o Tocantins enche e provoca o transbordamento do Itacaiúnas, provocando o alagamento de algumas áreas. Dessa vez a cheia veio mais forte.”

Stella afirmou ainda que agentes de saúde estão coletando os moluscos das ruas. “Eles passam de casa em casa para retirar os caramujos da região onde mais aparecem e fazem um trabalho educativo com a população local para que evitem manter contato com os caramujos, com as fezes deles, que evitem andar sem calçados pelos locais onde eles são encontrados. Ainda pedimos que a população evite nadar nas águas onde estão os moluscos.”

Como a identificação do caramujo ainda não determinada, Stella disse que não é possível saber que tipo de danos à saúde o molusco pode provocar para os moradores de Marabá. “Ainda não temos como saber que problemas específicos eles podem ocasionar à população e por isso trabalhamos preventivamente, evitando o contato direto com os caramujos, principalmente por parte das crianças”, concluiu a médica veterinária. (Fonte: Glauco Araújo/ G1)

 

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////