Crassostrea sp = DETECTADA ESPECIE INVASORA NA BAIA DE GUARATUBA (PARANA, BRASIL) ...!

31-08-2011 14:34

Avulsos Malacológicos - AM - Florianópolis, Brazil

 

CRASSOSTREA SP

DETECTADA ESPÉCIE INVASORA NA BAIA DE GUARATUBA (PARANÁ, BRASIL)

 

VIII CLAMA

http://www.clama2011.com.ar/Libro_Resumenes_VIII_CLAMA.pdf

 

 

LIBRO DE

RESÚMENES

 

DETECTADA ESPECIE INVASORA NA BAIA DE GUARATUBA (PARANA,

BRASIL) UTILIZANDO MARCADORES MOLECULARES

Ludwig, S1.,. de Azambuja, R.P, Stoiev, S., Castilho-Westphal, G., Fier Girotto, M.V.,

Ostrensky, A. &. Boeger, W.A.

1Universidade Federal do Paraná (UFPR) – Laboratório de Ecologia Molecular e

Parasitologia Evolutiva (LEMPE) – Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos

Ambientais (GIA) – Curitiba – Paraná – Brasil. sand.ludwig@gmail.com

 

Ostras do grupo Crassostrea estao distribuidas ao longo da costa do Brasil, mas

devido a alta variabilidade morfologica das conchas, a identificacao das especies e

uma tarefa dificil. As especies Crassostrea rhizophorae e Crassostrea brasiliana sao

nativas do litoral brasileiro; e Crassostrea gigas - conhecida como ostra do Pacifico

- foi introduzida na decada de 70 para o cultivo sendo encontrada hoje em

ambientes naturais em determinadas regioes. Recentemente, uma quarta especie

foi detectada no norte do pais, denominada Crassostrea sp., cuja a identidade e o

status (se nativa ou introduzida) sao desconhecidos. O conhecimento sobre o

status regional de uma especie introduzida e a identificacao de fatores que podem

limitar a sua capacidade de invasao e dispersao e fundamental para estabelecer

programas e medidas de mitigacao ou mesmo de eliminacao, como no caso de C.

gigas, esse conhecimento poderia ser adquirido atraves da deteccao de formas

planctonicas. Todavia, a diferenciacao das fases planctonicas dessa especie das

demais especies nativas e mesmo de outros grupos de bivalves e dificil de realizar

fazendo uso de metodos tradicionais de microscopia. Dessa forma, esse estudo

visou desenvolver um metodo molecular para detectar larvas de ostras em

amostras de zooplancton e identificar sementes em ambiente natural. O protocolo

consta de uma reacao de PCR Multiplex incluindo iniciadores universais como

controle de integridade do DNA das amostras, e iniciadores especificos

desenvolvidos com base em diferencas de nucleotideos em sequencias de DNA da

especie-alvo. Os produtos da reacao sao submetidos a eletroforese em gel de

agarose permitindo a visualizacao das bandas e controle de qualidade. Para

revalidar a especificidade dos iniciadores especificos, os produtos da PCR foram

sequenciados, as sequencias obtidas foram submetidas a ferramenta BLAST do

GenBank para averiguar a especie em questao. As sequencias semelhantes com as

das especies avaliadas e depositadas no banco de dados do GenBank foram

utilizadas para inferir sobre os relacionamentos filogeneticos baseando-se em

analise bayesiana. Esse procedimento resultou na deteccao de outra especie de

ostra no estado do Parana, Crassostrea sp.. Parece que a especie detectada

apresenta maior tolerancia a condicoes ambientais, uma vez que sua distribuicao

original era a regiao norte do Brasil. Se confirmado seus status de introduzida, a

sua deteccao na regiao sul do pais representa ser uma especie potencialmente

mais agressiva sob o ponto de vista de sua capacidade de invasao do que C. gigas.

 

 

VIII CONGRESO LATINOAMERICANO DE MALACOLOGÍA · PUERTO MADRYN, JUNIO DE 2011   31/ 32  

 

 

Novas Publicações Disponíveis ...!