Mais uma espécie exótica de molusco "propositalmente introduzida" no Brasil !

27-08-2011 10:29

 

 Avulsos Malacológicos - AM - Florianópolis, Brazil

MAIS UMA ESPÉCIE EXÓTICA DE MOLUSCO "PROPOSITALMENTE INTRODUZIDA" NO BRASIL 

 

 

Jornal Online "AMBIENTEBRASIL"  

Edição no. 3860 - Agosto 27 de 2011 

 ///

PESQUISADORES REPRODUZEM OSTRA EXÓTICA ORNAMENTAL COM MÉTODO INÉDITO 

http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2011/08/27/73882-pesquisadores-reproduzem-ostra-ornamental-com-metodo-inedito.html 

 

 

Conteúdos:

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Uma espécie de ostra ornamental originária da região do Indo-Pacífico começa a ser reproduzida na Universidade de São Paulo (USP) por um método inédito. Após estudar a anatomia do bivalve, os cientistas encontraram o ponto anatômico ideal para a aplicação de uma injeção de serotonina – composto neurotransmissor -, informou a Agência USP.

“A substância relaxa a musculatura do animal e estimula a desova”, explica o oceanógrafo Marcello Scozzafave, um dos integrantes do grupo que vem estudando o sistema reprodutivo da ostra, cujo nome científico é Tridacna maxima.

Até o momento, os pesquisadores conseguiram atingir 90% do ciclo larval da ostra, desde a produção de gametas (células sexuais) até o último estágio larval. Miguel Mies, estudante que integra o grupo, explica que este método de indução à desova já foi reproduzido por pelo menos 30 vezes no Laboratório de Aquicultura do Instituto Oceanográfico da USP.

Ele conta que a primeira fase do ciclo reprodutivo ocorre cerca de 15 horas após a injeção da substância e a fecundação. “Esta fase é denominada trocófora. A segunda fase, chamada véliger, acontece cerca de 24 horas após a fecundação”, descreve. Os cientistas atingiram a terceira fase do processo, o pediveliger, que ocorre cerca de sete dias depois da fecundação.

Mies conta que após 15 dias, a Tridacna já atinge o formato de uma ostra adulta, mas ainda pouco visível a olho nu. “Com uma lupa é possível visualizar o animal. Neste estágio ele possui um tamanho pouco maior do que um grão de areia, mas suas formas já estão bem definidas”, conta.

“Ao todo, o ciclo de vida desta espécie de ostra pode chegar até mais de 50 anos”, ressalta o estudante.

Objeto de desejo – As Tridacnas adultas chegam a custar no mercado nacional entre R$ 1 mil e R$ 2 mil, dependendo de seu tamanho e coloração. “Na Indonésia chegam a custar US$ 10, e nos Estados Unidos, entre US$ 40 e US$ 50″, compara Mies.

Segundo ele, por ser um ornamento raro, alguns colecionadores chegam a pagar valores ainda mais altos. “Sabe-se que um empresário brasileiro chegou a pagar cerca de R$ 12 mil por uma destas”, conta o pesquisador, lembrando que, em seu ambiente natural, a espécie Tridacna gigas pode atingir 1,2 m de tamanho.

(Fonte: Portal Terra)

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

  

Outras fontes jornalísticas

http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5314954-EI8147,00-Pesquisadores+reproduzem+ostra+ornamental+com+metodo+inedito.html

 ///

Maiores informacões sobre a espécie nos seguintes links

 

http://en.wikipedia.org/wiki/Maxima_clam

http://www.aqualandia.com.br/site/maxima.htm
http://www.cites.org/eng/com/ac/22/E22-10-2-A8f.pdf
http://www.iucnredlist.org/apps/redlist/details/22138/0

 

Novas Publicações Disponíveis ...!